quarta-feira, 28 de maio de 2008

Montes Guararapes

Por James Davidson




Os Montes Guararapes são o principal atrativo turístico e o principal local de interesse histórico de Jaboatão dos Guararapes. Destaca-se por ter sido o local onde se realizou as duas grandes Batalhas dos Guararapes, ocorridas em 1648 e 1649, e que foram decisivas para a expulsão dos holandeses do Nordeste do Brasil. Situado no bairro de mesmo nome, consiste em três montes intitulados de Telégrafo, Ferradura e Oitizeiro.



O primeiro monte - Telégrafo - encontra-se mais ao norte e está atualmente desocupado, havendo alguns projetos que preveem a sua utilização. Possui esse nome devido a uma torre de telégrafo ali instalada no final do século XIX. No segundo monte  - Oitizeiro - existe um mirante controlado pelo exército onde são ministradas palestras sobre as famosas batalhas. Tem esse nome devido ao fato de ter existido ali muitos oitizeiros que, com a ocupação das casas e a implantação da estrada, não existem mais. Já no terceiro monte - Ferradura - mais ao sul, existe a Praça dos Mastros, um bosque de Pau-Brasil e a famosa Igreja dos Prazeres. 



A Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres é tombada a nível nacional pelo IPHAN e é o principal monumento histórico do município. Foi construída em cumprimento de uma promessa feita em agradecimento a vitória contra os holandeses, no século XVII. Construída em parte com arrecifes retirados da Praia de Piedade, possui bela fachada barroca e interior decorado com azulejos portugueses. Era originalmente uma capela que ao longo dos anos foi ganhando dimensões até chegar ao tamanho atual.


Próximo da igreja, há um belo bosque de Pau-brasil criado com o intuito de valorizar a árvore nacional. Há também a Praça dos mastros com uma placa comemorativa muito danificada e onde  outrora existiam alguns canhões que talvez tenham sido retirados pelo exército para evitar furtos. Há ali um mirante, recém-criado e de onde é possível ter uma das mais belas vistas do local. Dali, é possível avistar todo o 1° distrito de Jaboatão (Prazeres, Guararapes, Rio das Velhas, Piedade, Candeias, Vila Sotave, etc), o distrito industrial de Prazeres, a Lagoa Olho D'água, o Lixão da Muribeca, as colinas dos engenhos de Muribeca até o Cabo de Santo Agostinho. Percebe-se toda a Planície onde se instalou a sede da cidade, sendo bastante proveitoso para a realização de aulas extra-classes!


Apesar de todo o valor histórico, turístico e paisagístico dos Montes Guararapes, o descaso também se faz presente. O lixo encontra-se amontoado nas entradas do parque, até mesmo o lixo de casamentos realizados na igreja é jogado em uma encosta ao lado desta! Fora toda a infra-estrutura criada para a instalação de lojinhas de souvenirs com toaletes para os turistas que se encontra abandonada, em frente à igreja e sendo utilizado apenas por usuários de drogas e outros fins nada louváveis! Existe um projeto de iniciativa da Prefeitura e do IPHAN, em parceria com o Exército, que conta com recursos do PAC cidades históricas, para a revitalização urbanística, paisagistica e regularização fundiária do Parque Nacional Histórico dos Guararapes. É um megaprojeto que acredita-se que irá melhorar em muito o atual estado do lugar.



Os montes compõem o Parque Nacional dos Montes Guararapes, tombado pelo IPHAN e considerado como o local onde nasceu o exército e a nacionalidade brasileira, sendo por isso homenageado todos os anos pelas forças armadas. Também é realizada todos os anos a Festa da Pitomba, no mês de Abril, em homenagem à NS dos Prazeres e em memória da expulsão dos holandeses do Brasil.

Praia de Piedade

Por James Davidson



A Praia de Piedade é a praia mais badalada de Jaboatão dos Guararapes. Está situada entre as praias de Boa Viagem, no Recife, e Candeias, em Jaboatão. No começo do período colonial todo o trecho situado entre a Barra das Jangadas e a Praia do Pina era conhecido como Praia da Candelária. Este nome era devido à antiga Igreja da Candelária que existia na Praia de Candeias, construída no final do século XVI, e destruída na década de 1930 pelo avanço das marés.


A Praia de Piedade só obteve esse nome quando foi construída a Capela que deu origem à atual Igreja da Piedade, defronte do mar, e cujo construção foi atribuída a Francisco Gomes Salgueiro. Este  (segundo a tradição) teria feito a promessa que construiria uma igreja em suas terras caso escapasse de um naufrágio. Cumpriu a promessa e doou o terreno da igreja aos frades carmelitas, que ali instalaram um convento. A data da construção da igreja é de 1683, conforme consta no túmulo do fundador, situado na mesma. Por estes idos, a Praia também era conhecida como Praia de Francisco Gomes.


Num trecho da Praia de Piedade, situado nos limites com Candeias, existiu um porto durante o período colonial onde aportavam navios negreiros. Por isso, esse local era conhecido por Venda Grande e, até hoje, alguns ainda utilizam essa denominação. Até o final do século XIX, no local, fora a igreja e o convento, não existia nada além de algumas casas de pescadores e uma densa vegetação de restinga onde abundavam os cajueiros e mangabeiras. Destacava-se na época em Venda Grande apenas uma casa, no local então conhecido como Focinho de Boi.


Fazendo uma caminhada pela Praia de Piedade, percebe-se que os arrecifes dominam o trecho compreendido entre a altura da Rua do Loreto até as proximidades da Igreja. Nele, muitas pessoas pescam e aproveitam a proteção oferecida para banharem-se nas piscinas naturais formadas. É uma pena que a degradação ambiental no local extinguiu a fauna composta por marias-farinha, siris, peixes coloridos anteriormente existente.


O trecho próximo a Igreja de Piedade não é aconselhável para o banho, devido aos ataques de tubarões que por inúmeras vezes ocorreram ali. Mesmo assim, apesar da placa avisando a presença dos tubarões, muitos banhistas desobedecem ao alerta e arriscam suas vidas no local. Aconselha-se que esse trecho seja evitado pois existe um canal submarino que liga áreas profundas do oceano ao referido local, o que favorece a entrada de tubarões.


Bairro de Socorro - Jaboatão

Por James Davidson As terras do atual bairro de Socorro faziam parte do antigo Engenho N.s do Socorro, levantado em terras desmem...