quinta-feira, 29 de abril de 2010

A situação da Educação em Pernambuco

Segue mensagem que recebi de um e-mail de um grande amigo meu professor Jorge Araújo. Isto serve tanto para o Estado como para os municípios.

Segue o desabafo de uma professora que de derrota em derrrota faz a luta. Estamos com eles. Abraços Jorge



Colegas PROFESSORES, já assistiram ao filme "Besouro"? No final há uma frase que reflete a nossa realidade. Alguém diz: " O herói nasce quando o inimigo vacila, quando ele comete o maior dos erros: achar que pode acabar com tudo.. Mas é nessa hora que ele acaba de fazer tudo começar."
Nos desrespeitar foi e continua sendo um vacilo. Sempre ganharam, estão acostumados a isso, mas agora a coisa mudou, feriu nossa dignidade, agrediu nossa inteligência e quer ainda mais sacrifício nosso, de nossos familiares e de quem mais depender de nós. Sim, a guerra foi declarada, estamos em campanha, temos a nosso favor a internet, como diz nossa colega PROFESSORA REGINA e o que eles não tem: o corpo a corpo, como dizem os políticos em período eleitoral. Estamos nas escolas os 200 dias letivos e se CONSTRUÍRMOS idéias, opiniões seguras estaremos com nossos alunos também nos 165 dias e 6 horas restantes. Quantos alunos há no Estado de Pernambuco??? Some a isso seus familiares, some seus amigos, some ainda os amigos dos amigos...Somos fortes, o governador e esses deputados nos deram o melhor dos fortificantes: a CORAGEM que antes reservávamos apenas para o nosso dia de trabalho.
Convido vocês a nem pensarem em greve. Agora trabalharemos mais do que nunca! Apenas reservaremos 15 minutos de cada aula, de cada disciplina , todos os dias, para esclarecermos quem são desses políticos pernambucanos, que projetos RELEVANTES para a sociedade defenderam na Câmara, em seus gabinetes, nas ruas, quantas faltas tiveram em seus mandatos, qual sua postura durante as campanhas políticas, se estiveram envolvidos em algum escândalo, e outros tantos ítens a serem esclarecidos e informados a nossos alunos.

O ÚNICO MEIO DE MUDAR A SOCIEDADE É ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO. ENTÃO, O QUE ESTAMOS ESPERANDO? VAMOS NOS DAR AS MÃOS, VAMOS UNIR FORÇAS. NÓS PODEMOS!!!!

Esse GRITO de REVOLTA PRECISA ECOAR em vários corações. Comungo com cada palavra,cada lamento...desabafo...INDIGNAÇÃO.. REPASSANDO, por favor, apesar dos erros gráficos. Como ela mesma diz...é a pressa, expressa no cotidiano do trabalho docente...na labuta diária e insane...nos tantos afazeres do "educador taxista"...na busca da "sobrevivência" face aos salários tão aviltantes.

A todos que acreditam a educação,Temos que dá uma resposta a esse governo autoritario e irônico.Vamos à luta, pois nossa missão é eterna.O ano é de eleição e a guerra já começou. Precisamos ser validadas, respeitadas!

Camões escreveu:"Mudam-se os tempos. Mudam-se as vontades", nenhuma frase pode traduzir melhor o que sinto hoje, ví esta semana uma manchete de jornal que dizia: "Professores derrotados". Posso lhes dizer com a consciência tranquila que, nós, professores estamos derrotados desde o dia que escolhemos como profissão, sermos professores do estado de Pernambuco; desde o dia que acreditamos que poderíamos fazer a diferença; desde o dia que resolvemos apostar na mudança de valores pela educação e cultura, desde o dia que elegemos Eduardo Campos. Em um estado onde o governador aumenta o próprio salário de 18.000,00 para 22.400,00 e tem a coragem, ou a insensatez de incorporar gratificações a um salário de miséria, e apregoar aos quatro ventos que aumantou salários, gratíficações aliás que não vieram de graça, é resultado de trinta anos de lutas. Ao incorporar a gratíficação por tempo de serviço, o senhor governador e os senhores deputados nivelaram, professores com trinta anos de serviço (comumente depressivos, afônicos, etc) a jovens que acabaram de ingressar no magistério. Ao diminuir os percentuais para quem faz mestrado, doutorado e especialização, certamente ele não pretende valorizar os educadores, ninguém em sã consciência, quer estudar mais para ganhar menos. Será que ao diminuir as gratíficações por difícil acesso(leia-se dificuldade para chegar aos locais de trabalho, que ficam no alto de morros, nas margens das matas, em comunidades onde haja risco de vida, etc), será que o nosso governador e os demais pretendem punir os que mais se esforçam? Nosso salário não aumentou, nem aumentará tão cedo, uma vez que o "abono" que o governo deu para que não tivessemos o salário reduzido, não será levado em conta nos cálculos dos próximos reajustes, se houverem.Você pode estar pensando: Que tenho eu com isso? Não sou professor, meu filho não estuda na escola pública...Se você mora em New York ou no Edem, você está certo, mas se você mora em Pernambuco, estado que tirou em ultimo lugar no indice que mede a qualidade de educação e o primeiro em índices de criminalidade e violência e que ainda paga o pior salário para professores do Brasil; então você está tão imerso no problema quanto eu, como se pode esperar ensino de qualidade se temos jornadas estenuantes de até 15 horas aulas ao dia para sobreviver? Somos nós, os professores estaduais que tentamos transformar uma juventude revoltada e sem esperança em cidadãos; somos nós que ensinamos a estes meninos e meninas o significado de palavras como Respeito, Democracia, Dignidade, Solidariedade e agora Derrota, e posso lhes garantir que fazemos o melhor que podemos. Estamos entregues a nossa própria sorte (nós e os nossos alunos) se tem dúvidas visite a escola onde trabalho, ela funciona há 3 anos em um quartel desativado em frente a delegacia de Olinda no Varadouro.
Se quizer saber quais os argumentos que tenho para derrubar por terra lendas urbanas como: "Professores conectados", Escolas de referencia", Projeto Travessia", Capacitações de professores", envie-me um e-mail, terei prazer em responder. Peço a meus colegas professores que usem a internet (é mais difícil o controle pelos poderosos). Pelo Orkut, enviem fotos de suas escolas, contem seus medos, suas dores, percam o medo, soltem o verbo,"a verdade vos libertará".

Eu votei em Eduardo Campos e fiz campanha, e, pasmem: comemorei cheia de esperança. Mas"mudam-se os tempos e mudam-se as vontades". Não haverá um só dia no qual eu não esteja em campanha, pela verdade. Não, Eduardo não nos derrotou. A Educação de Pernambuco é que perdeu mais uma batalha. Os mais jovens (e competentes) estão largando o barco, tentarão outras profissões mais promissoras; os mais velhos e cansados como eu permaneceram na luta, sobrevivendo como pudermos, e queira Deus que os senhores políticos não consigam derrotar a Educação de Pernambuco, porque se isto ocorrer...Deus tenha piedade de nós, incluindo o senhor governador, os demais políticos, seus filhos e netos. Não corrigirei os erros de Português, é que estou numa Lanhouse e meu tempo já se esgota. Assim que for possível envio umas fotos da escola onde ensino"uma imagem vale mais que mil palavras. Desejo a todos os políticos irresponsáveis e inconsequentes todos os males que nos causam, em dobro, dores e pesadelos, por todo sangue inocente que a terra bebe, por todos os sonhos desfeitos e pelo choro amargo que engolimos, e a Deus, que algum sei que há, peço justiça.

Regina Carvalho.professora há 28 anos,22 anos na rede estadual de Pernambuco,150 horas aulas mensais,salário de 911,85 ,apenas 21.500,00 a menos que o meu governador e os auditores fiscais.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Bens tombados de Jaboatão dos Guararapes.

Por James Davidson



Depois da destruição do Casarão do Engenho São Bartolomeu, o tema do tombamento teve uma grande repercussão e por isso muitos erros, dúvidas e equívocos sobre o patrimônio histórico de Jaboatão têm sido divulgados. Por isso, este matéria tem como intuito esclarecer as dúvidas que possam existir a respeito do assunto.

O tombamento é um termo técnico que significa a proteção de uma área, de um objeto, de um edifício contra as alterações, depredações, descaracterização ou mesmo a destruição dos bens culturais de uma localidade. Sem nos prendermos aos detalhes técnicos da definição (que não é o objetivo deste artigo) o tombamento significa a proteção legal sobre um bem cultural qualquer. Ao tombarmos um edifício, por exemplo, significa que o estado tem a obrigação legal de protegê-lo, zelando pela sua preservação, independente de ser uma propriedade pública ou privada.

Pela Constituição Federal é responsabilidade do poder público em todas as esferas (federal, estadual e municipal) a preservação do patrimônio cultural brasileiro. Isto significa que o tombamento pode ser de três níveis:
  •  Federal - Tendo o IPHAN como órgão responsável e tendo atuação em todo o território nacional e regido por legislação específica para o tombamento federal.
  • Estadual - Regido por órgão estadual específico de cada unidade da federação e com legislação específica. No caso de Pernambuco o órgão responsável é a FUNDARPE.
  • Municipal - Quando o município possui uma legislação própria e específica que o autoriza a preservar bens de valor cultural municipal.
Jaboatão possui os seguintes bens tombados a nível federal sob a responsabilidade do IPHAN:
  • Parque Histórico Nacionaldos Montes Guararapes
  • Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres
  • Igreja de Nossa Senhora da Piedade
  • Convento de Nossa Senhora da Piedade
No nível estadual, ou seja, sob a responsabilidade da FUNDARPE Jaboatão possui os seguintes bens tombados:
  • Capela de Nossa Senhora do Loreto
  • Povoado de Muribeca dos Guararapes
  • Estrada de Ferro Recife-Gravatá
  • Engenho Suassuna
Já a nível municipal existe uma lei - 104/79 que criava áreas especiais de interesse cultural, que possibilitava ao Poder Executivo, mediante Decreto, proteger os sítios e locais dentro do município que possuíssem valor histórico, cultural, arquitetônico e paisagístico, estabelecendo certas restrições, benefícios e punições que incidiam sobre o bem cultural ou sobre aqueles que o protegessem. A Legislação Urbanísitca de Jaboatão também estabelece a proteção de algumas áreas de interesse cultural como as já protegidas a nível federal e estadual e dois sítios históricos: o Conjunto Antigo de Jaboatão Centro e o Conjunto da Rede Ferroviária (oficinas e vilas operárias). Todas estas leis foram feitas no período do primeiro mandato do prefeito (já falecido) Geraldo Melo, mas com as desadministrações que se seguiram não puderam ser postas em prática pela falta de fiscalização e mesmo por uma completa falta de conhecimento a respeito delas. Com isso, a maioria dos edifícios foram descaracterizados, como nas vilas operárias e na Rua de Santo Amaro, por exemplo. Apesar disso, podemos considerar como protegidos os seguintes bens:
  • Capela do Loreto - Decreto 218/1980 de 31/12/1980
  • Conjunto Antigo de Jaboatão Centro - Legislação Urbanística Básica
  • Conjunto da Rede Ferroviária (Oficinas e vilas operárias). - Legislação Urbanística Básica - 218/1980 de 31/12/1980
A única vez que a lei 104/79 foi aplicada, foi para o tombamento da Capela do Loreto a nível municipal. Depois ela foi tombada a nível estadual e a lei municipal ficou esquecida e desconhecida até que, em 2009 , foi feita uma ementa na Câmara Municipal atualizando os termos desta lei. A nova lei já foi aprovada na Câmara e encaminhada para o prefeito para a sua aprovação. A partir daí vai ser possível finalmente a seleção de outras áreas para serem protegidas como patrimônio histórico jaboatonense, como os muitos engenhos do município, a casa de Paulo Freyre, o Instituto Histórico de Jaboatão, as igrejas históricas etc. É preciso deixar claro para a população que o tombamento não consiste numa punição para os proprietários de imóveis de valor cultural, mas sim o reconhecimento por parte da sociedade que aquele bem faz parte da memória e da cultura local e que por isso merece e precisa ser preservado.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Mais um crime contra a história de Jaboatão - casarão do Engenho São Bartolomeu foi destruído

Por James Davidson
Foto: Ricardo Fernandes/Diário de Pernambuco


Uma notícia muito triste para todos os amantes da nossa história, leitores do blog, da cidade de Jaboatão dos Guararapes e de todo o Estado de Pernambuco. A casa-grande do Engenho São Bartolomeu, duas vezes tema desse blog, foi abaixo no último domingo dia 11/04. Um verdadeiro crime contra a história de Jaboatão e do Estado de Pernambuco. É com lágrimas nos olhos que nós jaboatonenses nos comovemos e nos revoltamos com este ato de selvageria e de pura barbárie contra nosso patrimônio histórico, tão amado e tão conhecido na comunidade de Comportas!



O Engenho São Bartolomeu, fundado no final do século XVI, é um dos muitos locais históricos e pitorescos da cidade de Jaboatão, destacando-se por ter pertencido ao judeu Fernão do Vale, na época da invasão holandesa, e por nele ter sido criado o Bolo São Bartolomeu pela Dona Rita de Paula Souza Leão, esposa do Coronel Agostinho de Holanda. Um dos locais pitorescos do município e onde a comunidade mais estava envolvida com a história e com a preservação do patrimônio vem abaixo simplesmente pelo medo do tombamento de seu proprietário.



A história dessa calamidade começa no início de abril, quando a Secretaria de Cultura enviou um ofício ao Prefeito Elias Gomes solicitando o tombamento do bem a nível municipal.  O pedido foi aceito pelo executivo e encaminhado para análise de acordo com as leis vigentes do município, principalmente a lei 104/79 que estabelece as restrições, BENEFÍCIOS e consequências do tombamento a nível local. Isto não impediria o uso do prédio para outras finalidades, apenas guardaria a arquitetura e o entorno do edifício contra as alterações e depredações, contudo a ignorância prevaleceu e, após a notícia ser veiculada na imprensa no mesmo dia, o prédio histórico foi demolido sem dó nem piedade, apesar do lamento da população local diante do fato!


Este fato nos remete ao ano 1928, quando o Engenho Megaype de Baixo, vizinho ao São Bartolomeu, também foi destruído pelos mesmos motivos. Aquela bela casa-grande com estilo senhorial e imponente, construída com pedra sob óleo de baleia, remetia certamente ao século XVI ou XVII, pois suas características arquitetônicas de fato eram semelhantes com as representadas por Frans Post. Intelectuais como Gilberto Freyre e Manuel Bandeira começaram a visitá-la e o edifício caiu no gosto da então Escola de arquitetura do Recife que levava seus alunos para conhecê-la. O Governo do estado demonstrou interesse em tombá-la e, assim que o processo deu início, seu proprietário, o Sr João Siqueira Santos, destruiu o edifício com medo das restrições do tombamento. Até Manuel bandeira lamentou o fato:

"João Lopes de Siqueira Santos, usineiro riquíssimo, atual senhor de Megaípe, acaba de mandar botar abaixo a mais linda das nossas relíquias rurais do século XVII. Pensar-se que o senhor Siqueira Santos pertence a uma velha linhagem de senhores de engenho! (...) O senhor João Lopes de Siqueira Santos não é sensível a estas coisas. Com todas as suas usinas, ele é agora o homem mais pobre de Pernambuco."
        Fonte: www.abi.org.br/primeirapagina.asp?id=2556


Assim, mais uma vez, o fato repete-se e, assim como Manuel Bandeira afirmou, o Sr. Gunther Gulde com todo o seu dinheiro é o homem mais pobre de Pernambuco! Aquela casa-grande não possuía 80 anos como foi informado, mas era uma relíquia de meados do século XIX como demonstra o seu estilo arquitetônico. Mais triste ainda, é que isto aconteceu justamente ali, onde a comunidade era mais envolvida com seu patrimônio histórico através de muitos anos de educação patrimonial conduzida por professores da Escola Augusto de Castro (como a professora Tereza Francisco e Eulina Maciel) e por moradores como o falecido Heleno Veríssimo. Todos os anos a comunidade organizava com recursos próprios a Festa da Manga em torno do casarão do engenho. Resta agora somente a todos nós jaboatonenses lutar para que estes fatos não mais se repitam e que agora os outros prédios históricos e engenhos de Jaboatão venha a ser salvos contra o tempo e as ações criminosas. Que sirva de exemplo para que todos nós, cidadãos e governantes, lutemos em defesa de nosso patrimônio histórico!

Mais informações em:

http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/04/14/urbana10_0.asp
http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/04/14/urbana10_1.asp
http://jaboataodosguararapes.blogspot.com/2008/06/mais-sobre-o-engenho-sao-bartolomeu.html
http://jaboataodosguararapes.blogspot.com/2007/10/engenho-so-bartolomeu-memrias-nas.html
http://www.jaboatao.pe.gov.br/index.php?opcao=21&id=1901
http://www.fundaj.gov.br/notitia/servlet/newstorm.ns.presentation.NavigationServlet?publicationCode=16&pageCode=299&textCode=12246&date=currentDate
http://www.nordesteweb.com/culinaria/receitas_doces/culinaria_do_010.htm
http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1359017-EI6614,00.html
http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/04/14/um-crime-contra-o-patrimonio-historico/
http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=55224277
http://delanocarvalho.com/dholandes.aspx
http://www.overmundo.com.br/guia/o-magnifico-bolo-souza-leao
http://www2.uol.com.br/JC/_1999/2302/cc2302b.htm
http://www.defender.org.br/pernambuco-patrimonios-podem-virar-ruinas/
http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/04/19/urbana5_0.asp

Bairro de Socorro - Jaboatão

Por James Davidson As terras do atual bairro de Socorro faziam parte do antigo Engenho N.s do Socorro, levantado em terras desmem...