quinta-feira, 18 de março de 2010

Curcuranas

Por James Davidson

O bairro de Curcuranas, situado no distrito de Prazeres e às margens da Lagoa Olho D'Água, é um dos locais pitorescos e peculiares de Jaboatão. Sua origem é muito antiga sendo anterior ao período holandês. Seu nome é de origem indígena e significa "lugar alagadiço próximo ao mar". O local era conhecido por esse nome desde tempos remotos, pois em 1537, no Foral de Olinda, Curcuranas já era citada por Duarte Coelho como pertencendo ao patrimônio da Câmara de Olinda.

Durante o período colonial, as Curcuranas eram um lugar muito importante, pois mereceu do holandês Adriaen Verdonk, durante o período da ocupação flamenga, uma bela e particular descrição. Segundo ele, o gado que era criado na região do atual estado das Alagoas era levado para a "invernada" nas Curcuranas onde ele era engordado antes de ser abatido e seguir para Recife e Olinda. Eram mantidas entre 1300 e 1400 cabeças de gado e ainda cabiam mais. Para Verdonk, Curcuranas era "um grande pasto no qual há espaço para mais de 3000 bois e água em abundância". O local seria ainda palco de um dos mais importantes confrontos entre portugueses e holandeses em 1646, na chamada "Batalha das Curcuranas", de onde depois os holandeses partiram para o Engenho São Bartolomeu e levaram ao judeu Fernão do Vale cativo.

Durante o século XIX, Curcuranas destacou-se pela produção de melancias que eram levadas para o Rio de Janeiro, onde caiu no gosto do rei D.João VI e de sua corte. Por isso, enquanto a corte real permaneceu no Brasil, as deliciosas melancias de Curcuranas eram enviadas para saciar a fome do rei de Portugal.

Na década de 70, foi construída pelo então prefeito Geraldo Melo a "estrada da Curcurana" que ligava a Barra das Jangadas ao povoado de Pontezinha. Desde esta época que a localidade vem sofrendo um intenso processo de ocupação que, infelizmente, não veio acompanhado de infra-estrutura básica, o que faz com que hoje Curcuranas seja uma comunidade muito carente. Por isso, assim como diversas outras comunidades no entorno da Lagoa Olho D'água, merece mais atenção do poder público em todas as esferas de governo assim como merece também ter sua história resgatada.

terça-feira, 16 de março de 2010

Igreja Matriz de Santo Amaro

Por James Davidson


A Igreja Matriz de Santo Amaro é um dos principais atrativos turísticos de Jaboatão Centro e destaca-se por ser vista de praticamente todos os cantos da cidade. Situada no alto de uma colina, a igreja é cercada por um belo casario, infelizmente parcialmente alterado e bastante modificado, que junto com a Igreja do Livramento forma um belo conjunto geometricamente bem ordenado com edifícios do século XIX e do início do século XX.


A história do templo começa na década de 1590, quando Bento Luiz de Figueirôa, fundador de Jaboatão e proprietário do Engenho São João Batista, ergueu uma pequena ermida dedicada a Santo Amaro. Sua paróquia foi criada já em 1598 pelo bispo D. Antonio Barreiros e seu primeiro vigário foi o padre Antônio André. Nesta época, a igreja não estava onde se encontra hoje, pois em 1691 ela teve que ser reconstruída no atual local pelo padre Adriano de Almeida, já que a antiga ermida estava arruinada e distante do centro da povoação. Não se sabe ao certo o local da antiga igreja, mas acredita-se que ficava situado próximo ao Engenho Bulhões.


A Igreja construída em 1691 era muito simples e menor  e era "de pedra e cal, com arcos, portas e cornijas de cantaria, com duas capelas, tudo com a perfeição possível" como relata o historiador Pereira da Costa. Somente em 1852 é que veio a adquirir as caracterísitcas atuais sofrendo uma grande reforma e ampliação com a construção de vãos laterais, sacristia e coro. Já as torres foram construídas no início do século XX. A torre leste foi a primeira, levantada pelo vigário João Araújo Pedrosa enquanto a oeste foi erguida em 1920 por Padre Chromácio Leão. Um detalhe que poucos notam é que as torres não são iguais sendo a torre oeste ligeiramente maior que a leste. Este fato decorreu de um erro na construção original e é um dos aspectos mais peculiares do templo.


A Igreja Matriz de Santo Amaro está incluída no Sítio Histórico de Jaboatão Centro que é protegido pela Legislação Urbanística Municipal. Constitui um dos principais atrativos turísticos de Jaboatão Centro e é uma área que vem sofrendo com as alterações constantes que descaracterizam os bens históricos locais. A igreja e seu entorno devem ser melhor preservados para que o nosso patrimonio histórico possa ser repassado para as novas gerações.

Bairro de Socorro - Jaboatão

Por James Davidson As terras do atual bairro de Socorro faziam parte do antigo Engenho N.s do Socorro, levantado em terras desmem...