Escola Souza Brandão - Antiga Casa do Barão de Lucena

Por James Davidson

A Escola Estadual Souza Brandão, situada na entrada de Jaboatão Centro, no bairro de Engenho Velho, guarda algumas histórias que poucas pessoas conhecem. Instalada num antigo casarão que sofreu algumas modificações e ampliações para abrigar as depedências da escola, o edifício está situado ao lado da Vila dos Ingleses (antiga vila de ferroviários) e próximo ao antigo sítio onde funcionou o Engenho Velho. Mas o casarão destaca-se mesmo por ter sido residência do famoso e ilustríssimo Barão de Lucena.


Henrique Pereira de Lucena nasceu em 1835, em Bom Jardim, formou-se em direito em 1858 pela Faculdade de Direito. Em 1863 foi nomeado Juiz da comarca de Goiana e, em 1869, da Comarca de Teixeira. Casou-se com D. Zília Carneiro Campelo e em seu casamento alforriou à sua custa um escravo. Assumiu a presidência da província de Pernambuco em 1872 realizando várias obras de grande importância para o estado, como a inauguração do Mercado de São José, do Teatro de Santa Isabel e do Farol de Olinda e iniciou a construção do Hospital da Tamarineira. Inaugurou o primeiro serviço de diligências (carruagens) entre Recife e Jaboatão e também a Colônia Suassuna - primeira tentativa de Reforma agrária em Jaboatão. Em 1874 assumiu o cargo de juiz de Direito efetivo da recém-criada comarca de Jaboatão. Um ano depois recebeu o título de desembargador. Governou ainda as províncias do Rio Grande do Sul, Bahia e do Rio de Janeiro. Em 1878 reassumiu o cargo de Juiz de Jaboatão e adquiriu um sítio desmembrado do Engenho Velho. Este sítio ia desde o terreno da atual escola até as terras do atual bairro da Cascata. Segundo consta na escritura de compra, a casa de vivenda ainda estava em construção e foi esta casa que abrigou o barão e que é hoje a sede da escola.


O Barão de Lucena era um verdadeiro abolicionista, pois alforriava muitos escravos à sua própria custa. Em 24 de janeiro de 1881 alforriou de uma só vez 21 escravos. Como presidente da Câmara de deputados, em 1888, deu caráter de urgência ao projeto da Lei Áurea que foi aprovado na Câmara e no senado em apenas cinco dias e no dia 13 de maio, um domingo. A Princesa Isabel concedeu-lhe o título de Barão, pois "a abolição muito lhe deve" disse a princesa regente. Depois da abolição, voltou a ser Juiz de Direito de Jaboatão e por sua amizade com Deodoro da Fonseca foi nomeado Governador de Pernambuco, em 1890, e depois ministro da agricultura. Faleceu em 1913 no Rio de Janeiro deixando marcas indeléveis na história do país. 



Quando as ferrovias começaram a ser implantadas em Jaboatão, no início da década de 1880, o Barão de Lucena vendeu à ferrovia o seu sítio que incluía a casa onde está hoje a Escola Souza Brandão. Foi no terreno deste mesmo sítio que foram construídas as vilas operárias ferroviárias em 1910. É por isso que ainda hoje o prédio da Escola pertence à Rede Ferroviária Federal. A Escola foi fundada em 1937, em homenagem a um importante engenheiro para atender os filhos dos ferroviários com o ensino fundamental, tendo no primeiro ano 160 alunos. Hoje a escola está sendo administrada pelo governo estadual, tendo passado por uma recente reforma, depois de anos sofrendo com uma estrutura precária. Atualmente é uma das mais importantes escolas públicas da região.

Comentários

victor disse…
ja estudei no souza brandao e muito bom
PlayStylle disse…
eu estudo no souza brandão é ótimo...
Anônimo disse…
a familia eskoolátra estudou no souza brandão no ano de 2011!:obs.alunos:walaf rocha .iago campos .jackson santos. johnison freitas.josé sildenir . elivelton.paulo sergio.
rafaella disse…
tb estudo no zouzae tem sido muito legal...
Anônimo disse…
Vou estudar ai esse ano espero que eu me adapte bem a um anova escola
Adriano silva disse…
buEU TA BEM SÓ UM EX-ALUNO DO SOUZA BRANDÃO E MUITO BOM SABER HÁ VERDADE DA ESCOLA Q ESTUDEI.
Adriano silva disse…
EU SÓ UM EX-ALUNO DA ESCOLA SOUZA BRANDÃO, ISSO FOI OTIMO PRA MIM SABER OQUE MINHA ESCOLA FOI NA VERDADE AGORA FICO CLARO PRA MIM.
Meu nome é Adiel Fernandes de Luna e estudei no Souza Brandão em 1969 e fico feliz que esta escola esteja até hoje a serviço da comunidade e formando cidadãos
Anônimo disse…
Lembro-me que em meados de 1969-1970 eu e meus irmãos passavamos em frente a essa escola. Nós moravamos na Cascata e estudávamos na Escola Antonio Pinto Reis, que não existe mais.achava curioso porque os alunos do Souza Brandão usavam meias pretas.Saudades!

Postagens mais visitadas deste blog

A Antiga Prefeitura de Jaboatão

O Túnel do Engenho Suassuna

Meu apoio ao Ocupe Estelita!